Experiencia Comunidade de Aprendizag em Maria da Restinga

From REEVO Wiki

A Comunidade de Aprendizag em Maria da Restinga - COAMAR -configura-se em um coletivo de famílias de Matinhos que tem como objetivo viabilizar processos de aprendizagem junto à educação infantil que envolvam pais, profissionais e comunidade, buscando uma abordagem integrada entre os processos educacionais e o desafio da vida em sociedade. É uma iniciativa fomentada por pais, educadores e de demais profissionais da educação, preocupados e comprometidos com o aperfeiçoamento contínuo da educação de crianças e jovens residentes no município de Matinhos.

Cargando el mapa…
Rua Jaguariaíva, 512 - Caiobá, Matinhos - PR, 83260-000, Brazil (Rua Castro, Caiobá), Matinhos, Mesorregião Metropolitana de Curitiba, PR, Brasil BR

Inicio 2016
Final
Corrientes pedagógicas
Enfoques temáticos
Nivel socio-económico Medio
Social context ⧼rv-experiencia:respuesta-⧽
Cantidad de participantes 0
Nivel educativo y etario
Tipo de organización ⧼rv-experiencia:respuesta-⧽
Tipo de gestión ⧼rv-experiencia:respuesta-⧽
Tipo de educación ⧼rv-experiencia:respuesta-⧽
¿Ofrece certificación oficial/formal? Si
¿Es arancelada? ⧼rv-experiencia:respuesta-⧽
¿Tiene fines de lucro? No
⧼rv-experiencia:info-voluntariadol⧽ No
¿Es un proyecto virtual o en línea? No


Características

Educar para os direitos humanos significa reunir esforços, conhecimento, recursos e atividades, por meio de iniciativas de todo o gênero e através da cooperação entre os mais diversos atores e instituições do Estado e da sociedade, com o objetivo de disseminar uma cultura de paz, trabalhando para a melhoria da vida em sociedade e em última análise, buscando a garantia de uma vida digna a todo ser humano. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), “a educação em direitos humanos é um processo ao longo da vida que constrói conhecimentos e habilidades, assim como atitudes e comportamentos para promover e apoiar os direitos humanos” (UNESCO, 2012, p. 2) A questão central, quando pensamos numa educação voltada para os Direitos Humanos, é que ela possua o objetivo premente de trabalhar para reverter a indiferença que toma conta das mentes e corações, em relação aos graves problemas que enfrenta a humanidade, estimulando cada cidadão a buscar incessantemente soluções e alternativas, dentro do seu possível, para reverter o quadro de miséria, intolerância, violência e poluição que assola a sua comunidade e o planeta como um todo. Por outro lado, quando falamos em se estabelecer uma cultura de paz, nos referimos a formação de uma cultura de respeito aos direitos humanos, “tomando como referência o próprio inacabamento do homem, eterno aprendiz, sujeito de sua própria cultura que se constitui humano pela própria experiência humana” (GORCZEVSKI; TAUCHEN, 2008, p.71). Nas últimas décadas, diversas iniciativas têm se desenvolvido na área da educação, buscando alinhar sua atuação à construção de uma sociedade mais justa, cooperativa e criativa, no enfrentamento dos problemas que assolam a humanidade. Para isso, diversas pedagogias têm somado esforços em sistematizar metodologias de trabalho para o desenvolvimento integral do ser humano. No mundo afora tem surgido experiências educacionais, que valorizam os conhecimentos locais, a autonomia dos estudantes, a afetividade, o ensino por projetos, por problemas, dentre outros, buscando formar cidadãos preparados para construir um novo projeto de sociedade. Assim este movimento de uma nova escola não poderia passar despercebido pelos cidadãos matinhenses e neste sentido dão início à formação da Comunidade de Aprendizagem Maria da Restinga- COAMAR. Iniciativa fomentada por pais, educadores e de demais profissionais da educação, preocupados e comprometidos com o aperfeiçoamento contínuo da educação de crianças e jovens residentes no município de Matinhos. A COAMAR configura-se em um coletivo que tem como objetivo: viabilizar processos de aprendizagem junto à educação infantil que envolvam pais, profissionais e comunidade, buscando uma abordagem integrada entre os processos educacionais e o desafio da vida em sociedade. Para poderem potencializar o movimento por uma educação pública de qualidade, apresentam o presente projeto, que tem por objetivo estabelecer parceria e co-responsabilização com a Secretaria Municipal de Educação de Matinhos para o desenvolvimento de práticas inovadoras através de um projeto piloto em um CMEI municipal.

Historia

A busca de um espaço que atendesse a demanda de crianças dentro da UFPR Litoral foi um fator agregador de interessados na formação integral das próximas gerações, por meio dessa necessidade foi possível conseguir um local que mais tarde foi denominado Brinquedoteca. O Sarau Infantil que aconteceu em abril de 2016 marcou o início das atividades da COAMAR na brinquedoteca e também a primeira articulação que uniu interessados em construir um projeto educativo na cidade de Matinhos. Desde então aconteceram reuniões semanais, com a presença de diversos colaboradores que participaram dos encontros com o objetivo de apoiar esta construção coletiva. Em Maio de 2016 representantes do coletivo até então articulados sob o tema “Construindo Nossa Escola” participaram da Conferência Regional de Alternativas para uma Nova Educação (CONANE) sediada no município de Morretes, trazendo relatos de várias experiências e práticas pedagógicas diferenciadas de vários educadores. As reuniões de planejamento ganharam também outros momentos de interação como a festa junina, a mostra do filme “O começo da vida” produzido por Maria Farinha Filmes e dirigido por Estela Renner, e as reuniões especiais onde houve a participação de educadoras do município de Matinhos na primeira dinâmica de sensibilização. A denominação como Comunidade de Aprendizagem foi escolhida pois congrega as características e valores do grupo, já o nome Maria da Restinga é uma homenagem a espécie Phylloscartes kronei ave endêmica do Sul e Sudeste do Brasil e que atualmente encontra-se ameaçada de extinção (GUSSONI, 2014). A homenagem tem o objetivo de destacar aspectos da ecologia e a valorização de saberes e seres endêmicos da nossa região. Em Agosto de 2016 o setor litoral transferiu a brinquedoteca para o então espaço de convivência intergeracional da UFPR, que é gerido atualmente pelo grupo da COAMAR e proporciona a possibilidade de ações experimentais permanentes deste grupo e a possibilidade de parcerias com os demais núcleos de extensão da universidade. Hoje o projeto da Comunidade de Aprendizagem Maria da Restinga acontece no espaço da brinquedoteca da UFPR Litoral conta com a participação em torno de 10 crianças entre 1 a 5 anos de idade que interagem em conjunto com uma pedagoga, mãe, pais e voluntários, que se fortalecem no desafio de praticar as ações idealizadas.

Prácticas o acciones principales

COAMAR acredita nos pilares de: autonomia; gestão participativa (envolvendo pais, comunidade e escola); consideração da cosmovisão do saber popular dos pequenos e suas famílias; a consideração da criança como sujeito carregada de conhecimentos e desejos portanto ativa no mundo e não um futuro adulto; estabelecimento de limites com amor e com co-responsabilidade; respeito; cooperação; solidariedade; convivência; alegria; brincadeira; contato com a natureza; saúde e alimentação adequada. Pilares formados a partir dos sonhos dos pais, crianças e demais colaboradores que se fortalecem e co-aprendem a cada encontro.

Fundamentos teóricos

Seguimos vários fundamentos teóricos e seguimos aqueles que acreditamos serem verdadeiros e possíveis para a nossa prática: Leonardo Boof, Paulo Freire, Humberto Maturana, Maria Montessori, Emi Picker, Rudolf Steiner, Rubens Alves,

Información adicional

O objetivo desta proposta é envolver a comunidade de aprendizagem em parceria com o município no cumprimento de todos os princípios dispostos na LDB de 1996 que compreende a: igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas; o respeito à liberdade e apreço à tolerância; a coexistência de instituições públicas e privadas de ensino; a gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais; a valorização do profissional da educação escolar; a gestão democrática do ensino público, na forma desta Lei e da legislação dos sistemas de ensino; a garantia de padrão de qualidade; a valorização da experiência extra-escolar; a vinculação entre a educação escolar, o trabalho e as práticas sociais; e a consideração com a diversidade étnico-racial.